Bem-vindos ao WEAP
WEAP
WEAP é uma iniciativa do Stockholm Environment Institute.


Sobre o WEAP

Página principal
Porque o WEAP?
Características do modelo
Novidades
Amostras do modelo
Demonstrações
Aplicações
Publicações
História e Créditos

Utilizando o WEAP
Baixar
Licença de uso
Instruções de uso
Tutorial
Vídeos
Recursos

Fórum de usuários
Discussões
Lista de Membros
Editar Perfil

Suporte Adicional
Treinamento
Cursos Universitários
Colaboração

Quem Somos
Programa de Recursos hídricos SEI US
Entre em contato

 Notícias Ambientais
LEAP Interessado em Energia?
Leia sobre LEAP: SEI software para planejamento energético.

Porque o WEAP?

Visão geral     Informação básica     Enfoque     Exemplos     Desenvolvimento

Visão geral

WEAP é um software para planejamento integrado de recursos hídricos cujo objetivo é dá suporte a gestores experientes. Fornece uma estrutura completa, flexível e prática para planejamento e análise de regulamentações. Um número crescente de profissionais da área hídrica estão percebendo que o WEAP é uma ferramenta útil em suas coleções de modelos, bancos de dados, planilhas e outros programas. Esta introdução apresenta o objetivo, o enfoque e a estrutura do software WEAP; uma descrição técnica detalhada sobre o potencial do WEAP encontra-se disponível em outra publicação, a Guia de Usuário do WEAP.

Informação básica

Muitas regiões estão enfrentando desafios imensos de gestão de água doce. Alocação de recursos hídricos limitados, preocupações em relação à qualidade ambiental, planejamento sob variabilidade climática e incerteza, e a necessidade para desenvolver e implementar estratégias de uso de água sustentável sao assuntos cada vez mais urgentes para planejadores de recursos hídricos. Modelos de simulação convencionais que levam em conta apenas as fontes hídricas não são sempre adequados para explorar uma gama completa de opções de gerenciamento.

Na última década, uma visão integrada do desenvolvimento de recursos hídricos tem surgido, o que coloca projetos de fornecimento de água no contexto de gerenciamento da demanda, e qualidade da água e preservação e proteção de ecossistemas. WEAP incorpora estes valores em um instrumento prático para gestão e planjemento de recursos hídricos e análise de políticas. WEAP posiciona aspectos de demanda tais como padrões de uso d'água, eficiências de equipamento, estratégias de re-utilização, custos, e esquemas de uso de água na mesma linha com tópicos da parte da oferta tais como vazão, recursos de águas subterrâneas, represas, e transferência de água. WEAP também se destaca por sua abordagem integrada em simular tanto os componentes naturais (demanda evapotranspirativa, escoamento, fluxo) como os componentes de engenharia (reservatórios, bombeamento de águas subterrâneas) dos sistemas hídricos. Isto permite ao planejador ter acesso a uma visão mais compreensiva da ampla gama de fatores a serem considerados na gestão de recursos hídricos para uso presente e futuro. O resultado é uma ferramenta efetiva para avaliar opções alternativas de gerenciamento e desenvolvimento hídrico.

WEAP opera em muitas modalidades:

  • Base de dados do balanço hídrico: O WEAP fornece um sistema para manutenção da demanda hídrica e informação de suprimento.
  • Ferramenta de geração de cenário: O software WEAP simula a demanda hídrica, suprimento, escoamento, vazões, armazenamento, geração de poluição, descarga e tratamento de efluentes e a qualidade dos cursos d'água.
  • Ferramenta de análise de políticas: O WEAP avalia uma série completa de opções de manejo e desenvolvimento da água, e considera os múltiplos e competitivos usos dos sistemas hídricos.

O enfoque do WEAP

WEAP opera no princípio básico de um balanço hídrico e pode ser utilizado para sistemas municipais e agrícolas, uma única bacía hidrológica ou sistemas complexos de bacías de rios transfronteiriças. Ainda, WEAP pode simular uma ampla gama de componentes naturais e construídos destes sistemas, incluindo escoamento de água de chuva, fluxo superficial, e recarga de água subterrânea a partir da precipitação; Análise da demanda setorial; conservação de água; direitos de água e prioridades de alocação, operações de reservatórios; geração de energia hidroelétrica; avaliação da poluição e qualidade da água; avaliação das vulnerabilidades; e características dos ecossistemas. Um módulo para análise financeira tambem permite ao usuário investigar comparações de custo-benefício para projetos.

O analista apresenta o sistema em termos de suas várias fontes de fornecimento (ex.: rios, riachos, água subterrânea, reservatórios, e plantas de dessalinização); instalações de retirada, transmissão e de tratamento de efluentes; demanda de água; geração de poluição; e requisitos do ecossistema A estrutura de dados e o nível de detalhe pode ser facilmente customizada para satisfazer exigências e disponibilidade de dados para um dado sistema e análise.

O uso do WEAP geralmente inclui varios passos.

  • Definição do estudo: O espaço de tempo, os limites espaciais, os componentes do sistema, e a configuração do problema, são estabelecidos.
  • Contas atuais: Uma visão instantânea da demanda de água, cargas de poluição, recursos e fontes para o sistema são desenvolvidos. Isto pode parecer como uma calibração no desenvolvimento de uma aplicação.
  • Cenários: Um conjunto de hipóteses alternativas sobre impactos futuros de regulamentações, custos, e clima, por exemplo, na demanda de água, fornecimento, hidrologia, e poluição podem ser explorados. Os diversos cenários são apresentados na próxima seção
  • Avaliação: Os cenários são avaliados com relação a suficiência hídrica, custos e benefícios, compatibilidade com os padrões ambientais, e a sensibilidade a incertezas de variáveis predominantes.

Exemplos de análises de cenário no WEAP

A avaliação de cenários é o cerne do WEAP Cenários são utilizados para explorar o modelo com perguntas do tipo "E se", como por exemplo :

  • O que pode acontecer se os padrões de crescimento populacional e de desenvolvimento econômico mudam?
  • E se as regras de operação do reservatório forem alteradas ?
  • E se a água subterrânea for mais explorada?
  • O que aconteceria se fosse introduzido a conservação d'água
  • E se exigências sobre ecossistemas forem impostas?
  • O que acontecería se estabelecessemos um programa de uso conjunto de aquíferos subterrâneos para armazenar o excesso de águas superficiais?
  • O que aconteceria se um programa de reúso de água fosse implementado?
  • E se uma técnica mais eficiente de irrigação for implementada?
  • O que acontece se a composição de culturas agrícolas muda?
  • O que aconteceria se a mudança climática alterar a demanda e oferta d'água?
  • Como a poluição à montante afeta a qualidade da água à jusante?
  • Como as mudanças no uso das terras irão afetar o escoamento de agua?

Desenvolvimento do WEAP

O suporte básico para o desenvolvimento do WEAP foi proporcionado pelo Instituto Ambiental de Estocolmo. Centro de Engenharia Hidrológica do Grupamento de Engenharia do Estados Unidos financiaram melhorias significativas. Um número de agências, incluindo O.N.U. (Organização das Nações Unidas), Banco Mundial, USAID (Agência Estadunidense para Ajuda Internacional), Agência de Proteção Ambiental dos Estados Unidos, IWMI, Fundação de Recursos Hídricos (antes AwwaRF) e o Fundo Mundial de Infraestrutura do Japão forneceu suporte ao projeto. WEAP foi aplicado em avaliações hídricas de dezenas de países, incluindo : Estados Unidos, México, Brasil, Alemanha, Gana, Burkina Faso, Quênia, África do Sul, Moçambique, Egito, Israel, Oman, Ásia Central, Índia, Sri Lanka, Nepal, China, Coreia do Sul, e Tailândia.

PRÓXIMO: Características do modelo